UAI SÔ… MINAS É LOGO ALI…

Segundo poema da série, Minas 300 anos… Dia 2 de dezembro de 2020, Minas Gerais completa seu terceiro século… Quem é de Minas sabe que ‘ali’ para mineiros pode ter de 1 a 1.000 km, ou masi No mínimo… Quem não conhece Minas e deseja conhecer segue o conselho de Renato Teixeira e Almir Sater, afinal, Minas é logo ali… uai… 

 

Se vieres a Minas em viagem

Seja pra trabalhar ou a lazer

Pra morar ou de passagem

Ali  tem trem demais pra conhecer

 

As opções são múltiplas

Da capitá à Serra do Cipó

Do Mangabeira à Pampulha

Furnas e ali na Serra do Caparaó

 

Do Sul ao Norte das Gerais

Pululam cidades históricas

Ali tem festivais e carnavais

E as quermesses católicas

 

No cardápio pão de queijo

E o café bem ao estilo mineiro

Mais queijo pra aguçar o desejo

Ali tem queijo o dia inteiro

 

Nos petiscos, almoços e jantares

Torresmo é sempre servido

Ali nos restaurantes e bares,

 tropeiro é o prato preferido

 

Para o apetite ainda mais abri

Antes do frango ao molho pardo

Cachaça da boa não falta ali

Inda tem angu e frango com quiabo

 

Se inda tiver lugar no estômago

Ali tem doce de leite e ambrosia

Rebata com café forte e amargo

Pra evitar aquela indigesta azia

 

Mas, não se deixe enganar

Ali exige atenção à linguagem

Uai não é só um jeito de falar

Pode ser tudo, nada e até trem

 

Se for novo por estas terras

E, por um acaso ficar perdido

Ali atrás de cada uma das Serras

Tem lonjura e muito trem escondido

 

Quando for pedir  informação

Cuidado: ali não tem parâmetros

Ali em Minas é só um jargão

Pode ser um ou mais de mil quilômetros

 

ESTEVAM MATIAZZI- 14 DE NOVEMBRO DE 2020

Ouça na voz de Almir Sater e Renato Teixeira- Minas é logo ali… 

17 comentários

      • Ao ler o poema, eu sinto uma profunda emoção por fazer parte dessa História tão original.
        Minas Gerais é essa culinária Maravilhosa, descrita no texto, todavia é também a terra de poetas especiais como o Estevam, Adélia, Drummond, Alphonsus, Henriqueta, isso só para citar alguns dos grandes de nossa terra.
        Como disse o outro poeta, Milton Nascimento: ” sou do mundo, sou Minas Gerais.”
        O texto de hoje me fez ter a certeza de que não somos bairristas, somos é indivíduos encantados pelo espaço e a linguagem que só nós temos , UAI!.
        Delícia de poeta, de prosa poética para ser contada até Minas fazer mil anos e os descendentes do Estevam contarem a seus herdeiros sobre a História de Minas,eternizada nesse texto tão delicado e gostoso como a ambrosia

        Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s