40RENTENA (IN) TENSA

Apressados passos pelos corredores

Médicos (in) pacientes doutores

Cotidiano show de horrores

(In)tensos olhares

Tristes cenas hospitalares

Pacientes morrendo asfixiados

Sonhos de muitas vidas intubados

Vagões do trem brasileiro desgovernados

 

Apressados passos pelas ruas e corredores

Garis (des) respeitados sofredores

Recolhem o lixo dos senhores

(In) tensos e populares

 Trabalhadores exemplares

Noite adentro correm disparados

Aos restos e sobras sociais misturados

Correm todos os riscos de serem contaminados

 

Apressados abrem plataformas os professores

Aprendem com youtubers instrutores

Às pressas seguem tutores

 (In) tensos seus lares

Parcelam notes e celulares

Relatórios disciplinares triplicados

Home-office sinônimo de stress acumulados

Quanto mais correm, mais ficam desatualizados

 

 Apressados abrem covas coveiros trabalhadores

Cavam a terra, enterram sonhadores

Seus sonhos e suas dores

(in) tensos e regulares

Profissionalmente singulares

Diariamente seus sonhos sonhados

Nas valas comuns também são enterrados

Invisíveis sociais, quase nunca são lembrados

 

Apressados atendem os balconistas vendedores

Nas farmácias exigentes consumidores

Ignoram órgãos reguladores

(In) tensos malares

Arritmias cardiovasculares

Querem remédios contraindicados

Cloroquina pra livrar dos males e pecados

Atendentes e farmacêuticos no labor pressionados

 

Apressados atendem caixas, padeiros e repositores

No corre-corre o fardo dos carregadores

Faxineiras higienizam corredores

(In) tensas dores musculares

Inflação alta, dinheiro pelos ares

Clientes com seus carrinhos carregados

Reclamam com funcionários dos supermercados

Que voltam pra casa com mãos vazias em ônibus lotados

 

SÉRIE: POEMAS DA 40RENTENA

ESTEVAM MATIAZZI- 16 DE ABRIL DE 2021

PS1: 398 dias de 40rentena no Brasil.

PS2: Homenagem a alguns/as dos/as profissionais que de forma (in) tensa atuam na linha de frente de combate à pandemia e/ou tiveram que se reinventar para exercer suas profissões.

 

 

 

 

24 comentários

  1. Rapaz ,esse final ,que voltam para casa com mãos vazias em ônibus lotados é triste ,é real e não deveria ser tratado como normal, parabéns mais uma vez.

    Curtido por 3 pessoas

    • É, Silvana, para você que está em outro país, é de.ficar assustados com o que chega aí. Infelizmente, não é mentira.
      E o que é pior: autoridades irresponsáveis ainda tem cúmplices aos montes.
      Fraterno abraço.

      Curtido por 1 pessoa

  2. Como havia te dito em nossa conversa, é uma sentença o que estamos vivendo e, se estamos na resistência é sim por esses anônimos que “voltam para casa de mãos vazias em ônibus lotados”. Por eles procuro honrar a vida que eles nos oferecem. Sensível homenagem que alenta a alma. Grande abraço, Estevam.

    Curtido por 2 pessoas

    • Sua percepção e sensibilidade meu caro Fernando, capta os ditos e não ditos de um texto. É isto, meu caro: honrar a vida destas pessoas que ajudam a manter as nossas. Fraterno abraço.

      Curtir

  3. Um belo poema, infelizmente por um grave problema estrutural, da sociedade e da (des) arte (Des)governativa que não dota o sistema de saudade dos meios humanos e materiais suficiente para acudir à população. O meu enorme abraço de solidariedade para com esse pais irmão. Parabéns poeta!

    Curtido por 3 pessoas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s