QUARENT – EMA À BRASILEIRA

No início da quarentena com 6 dias de isolamento, escrevi sobre o sentido e significado da quarentena[1] de forma geral. Hoje com 140 dias de isolamento social, mal conduzido e mal feito e com quase 100 mil mortos no país, volto a escrever sobre o t – ema, a partir da triste experiência brasileira…

 

Para quem a Covid não é séria?

A vida se tornou deletéria?

Tanta morte e miséria

Era só gripezinha!

Não era esta a ladainha?

Não, isto não é uma picuinha

Nem dor e manha de criancinha

Má vontade de oposição mesquinha!

 

Não quer respeitar a quarentena?

Manterá a mesma cantilena?

A morte vale a pena?

A quaresma passou

 A páscoa não se celebrou

O tempo pascal para trás já ficou

Quantos a Covid neste tempo levou?

Usarão toda a cloroquina que comprou?

 

Por que o não uso das máscaras?

Pra não revelar suas farsas?

Elas já estão às claras

Fake News em ação

Já o era antes da eleição

Por isso, temem a educação?

Bodes na sala acalmam a população?

Vão inverter a lógica grega do mito à razão?

 

Quarentena tipicamente brasileira

Vivida cada um à sua maneira

Defender a vida é besteira

Nesta longa quarentena?

Vidas encurtadas em dezena

Dezenas de milhares, quase centena

E daí? Vidas de pobres não valem à pena?

Banalização da vida não parece atitude de ema!

 

ESTEVAM MATIAZZI- 04 DE AGOSTO DE 2020

  [1] Link do poema publicado com 6 dias de isolamento: Quarentena: tempo decisivo. https://estevamweb.wordpress.com/2020/03/23/quarentena-tempo-decisivo/

19 comentários

    • Engajado ,o eu lírico faz um texto em prosa poética, uma vez que o texto narra , subjetivamente, a história atual do Brasil.Assim, de modo indignado, o eu lírico faz um texto de caráter documental e que se aproxima da crônica.
      Quem o lê hoje pode refletir sobre a dura realidade à brasileira e ,no futuro, a pessoa que o ler vai se assustar , vai achar que tudo aqui descrito é surreal, inacreditável.
      Na luta com as palavras, a voz lírica acredita que escrevendo o mundo se educa e pode mudar.
      Não há como não assustar com vidas encurtadas em dezenas.
      Escutamos essa dura realidade a todo momento, todavia lê- la
      como poema faz palpitar o coração dos atentos e sensíveis .
      😍😍

      Curtido por 1 pessoa

  1. Eis algo que continuo sem entender ou custo a aceitar: a naturalização da morte. No sentido de que se um dia vai acontecer…bom, é da vida. Da mesma maneira a relação com o vírus parece ser de amizade fraterna, e como um bom amigo nada faz contra o outro, para quê tantas restrições, não é mesmo? Quarentena à brasileira…não preciso escrever mais nada, o poema diz tudo é muito mais.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s