LÁGRIMAS DE ABRIL…

Sei que nem todos gostam de paráfrases… mas, às vezes, a inspiração é substituída pela indignação, então, eu, preciso me inspirar em textos clássicos… me desculpe aqueles/as que não gostam, mas, há um ano eu não resisti e escrevi o texto abaixo, inspirado em Águas de Março de Tom Jobim… Porque nosso país é assim?

É panela, é grito, pavimentaram o caminho
É vuvuzela no ouvido, é um povo sozinho
É um sonho destruído, é a morte, é a dor
É a noite, o escuro, é a ausência de amor
É hipocrisia da mídia, é o nó na garganta
É cárcere, cadeia, decidiu um sacripanta
É a marca do tempo, no cansaço da persistência
É a ilusão do injusto, decisão sem clemência…

É o foguete estourando, é o luxo da ganância
É festa na varanda, com sabor de vingança
É a chuva limpando, o lixo da intolerância…

São as lágrimas de abril, seguindo a história
É a fé, mesmo que a marcha seja inglória
É palavra de oração, é luta emancipatória
São pés firmes no chão, mãos erguidas pro céu
É trabalho pelo pão, contra injustiça, o escarcéu

É a toga exibida, é a lei jogada ao léu
Na face, a vergonha, não aparece sequer
Quando as máscaras caem, numa tela qualquer,
É uma cobertura enganosa, fala o que quiser
É um povo, um fantoche, uma voz manipulando
É a alegria da mentira, espetáculo anunciando
É o show da notícia, fitas da mordaça
São vendas nos olhos, é bala que ameaça…

É o projeto da nação, como a elite exclama
É a barragem rompida, é a lama em Mariana,
É um pasto, é uma pena, é um pato, é uma vaca
É Operação Lava Jato que só atinge ‘carne fraca’

São as lágrimas de abril, abrindo o outono
Tem amigos de Temer, só não tem tucano…

É uma farsa, é um engodo, em Curitiba ou Brasília
É pela Globo açodado, é soldado da nobre ‘família’                                                                    São as lágrimas de abril que chegarão à primavera
É o povo brasileiro em sua longa espera…

É panela, é grito, pavimentaram o caminho
É vuvuzela no ouvido, é um povo sozinho
É um pasto, é uma pena, é um pato, é uma vaca

É horizonte distante, neste país que não emplaca
São as lágrimas de abril que chegarão ao verão
É o ciclo de promessas a cada eleição…

ESTEVAMATIAZZI- ABRIL DE 2018

6 comentários

  1. Passei a noite em frente a um copo e uma garrafa de cachaça; ao meu lado, dois lugares vazios… Procurei por toda parte, não encontrei nas obras de Tom e nem na poesia de JG Estevam.
    Esperança, Futuro, onde estão vocês???

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s